5 coisas que você deve prestar muita atenção em um cão idoso - Pet é pop

5 coisas que você deve prestar muita atenção em um cão idoso

5 coisas que você deve prestar muita atenção em um cão idoso
5 coisas que você deve prestar muita atenção em um cão idoso
5 coisas que você deve prestar muita atenção em um cão idoso (Foto: Michael/Unsplash)

Assim como os humanos, os cães precisam se ajustar a novas rotinas e mudanças que acontecem naturalmente com o envelhecimento. Confira algumas coisas que você prestar atenção quanto estiver cuidado de um cão idoso!

Veja também:

Os cães geralmente são considerados “idosos” quando atingem os sete anos de idade, com raças maiores tendo uma expectativa de vida mais curta que as raças menores. Embora você possa notar algumas mudanças na cor de sua pelagem ou na diminuição do ritmo, o maior indicador que seu cão atingiu uma faixa etária mais velha é o surgimento de problemas de saúde relacionados à idade.

De acordo com o Diretor de Veterinários de Medicina Comunitária da ASPCA, Hyunmin Kim, assim como em humanos, com a idade podemos começar a ver problemas crônicos e progressivos em nossos animais de estimação. Mas, ele alerta que é importante ficar muito atento, porque os animais são muito bons em esconder seus sintomas quando estão doentes, até o ponto que ficam tão doentes que não conseguem mais esconder.

Por isso, as consultas veterinárias devem ser frequentes, para fazer check-ups que podem localizar quaisquer problemas de saúde que seu amigo peludo possa estar enfrentando. Confira os cinco problemas mais comuns que os veterinários veem em um cão idoso:

1. Artrite e problemas nas articulações
short-coated black and brown dog lying down on brown surface
(Foto: Dominik QN/Unsplash)

O nível de atividade de um cão idoso diminuindo é um dos primeiros e principais sinais de envelhecimento que os donos verão. Essa mudança pode acontecer entre os sete aos 12 anos de idade, de acordo com o Dr. Kim.

Apesar de parte de uma transição normal de filhote para adulto, isso também pode estar associado à osteoartrite e outras alterações degenerativas. Na maioria das vezes, afeta as articulações que suportam peso, como quadris, joelhos, cotovelos e ombros, então você pode ver que seu cachorro tem dificuldade para entrar e sair de veículos ou tem menos vontade de brincar de buscar no quintal.

Embora algumas dessas mudanças sejam inevitáveis ​​e piorem com o tempo, Dr. Kim diz que outras podem ser controladas e a dor pode ser aliviada com dieta adequada e exercícios. Além disso, o dono pode querer cercar o animal de estimação com suas coisas favoritas, como um cobertor quente ou um brinquedo especial, e ser gentil, pois a artrite pode deixar seu cão mais irritado. C

2. Incontinência

Alguns animais de estimação mais velhos podem desenvolver incontinência ou perda do controle da bexiga, portanto, certifique-se de verificar seu amigo peludo regularmente para ver se há umidade ou sujeira. Isso acontece à medida que seus órgãos, músculos e nervos envelhecem, tornando mais difícil “segurar”, mesmo que antes eles pudessem passar longos períodos sem ir ao banheiro.

O especialista ressalta que, dependendo do tipo de incontinência, alguns medicamentos podem ajudar a controlar esses problemas. Além disso, ele ressalta que é importante prevenir a irritação da pele e infecção por urina e fezes. A incontinência pode ser um sinal de outro problema subjacente, por isso é importante falar com o seu veterinário se se tornar um problema.

3. Perda de audição e visão
black and white long coated small dog lying on white and blue textile
(Foto: Dawid Sokołowski/Unsplash)

Os cães podem sofrer de perda de visão e audição, assim como os humanos na velhice. Visão e audição diminuídas podem ser desorientadoras para seu cão, mas não são dolorosas. Seu cão pode perder a capacidade de ouvir determinadas frequências primeiro. Os primeiros sinais de perda de visão incluem esbarrar em objetos e hesitação em navegar em certas áreas, como degraus.

Dr. Kim salienta a importância de consultar um veterinário para determinar a causa da perda de visão, porque certas condições subjacentes, como catarata e glaucoma, podem ser tratadas. Se o seu cão começar a perder a visão ou audição, certifique-se de não reorganizar os móveis da sua casa, pois eles terão problemas para navegar em novos layouts.

4. Tumores e câncer

Cães mais velhos podem ter caroços e inchaços, os quais nem todos devem ser motivo de preocupação. Eles podem ser verrugas benignas, manchas ou tumores gordurosos chamados lipomas. No entanto, assim como em humanos, é mais provável que os cães enfrentem um diagnóstico de câncer à medida que envelhecem. De acordo com a Veterinary Cancer Society, um em cada quatro cães será diagnosticado com câncer, e é a principal causa de morte em cães idosos.

Para ajudar seu animal de estimação, Dr. Kim alerta que é importante observar e monitorar qualquer massa ou crescimento para mudanças rápidas no tamanho, forma, cor e consistência, pois isso pode ser uma indicação de malignidade.

Uma consulta com seu veterinário pode resultar em um teste simples, como um exame com uma agulha fina para analisar algumas células da massa ou a remoção completa e biópsia que fornecerá uma resposta mais definitiva.

As opções de tratamento dependem do estágio e do tipo de câncer de seu cão, portanto, quanto mais precoce for o diagnóstico, melhor. Exames veterinários regulares podem ajudar a detectar problemas desde o início.

5. Obesidade
short-coated black and white dog lying in bed
(Foto: Juan Gomez/Unsplash)

Apesar de consumirem menos calorias, o peso dos cães mais velhos costuma aumentar progressivamente ao longo de sua vida. De acordo com o especialista, essa mudança também está na lista de “inevitáveis” e pode ser agravada por um gasto de energia reduzido ou por uma mudança na taxa metabólica.

Para evitar o ganho de peso, alimentar seu cão com uma dieta com baixa densidade calórica, mas com um nível de proteína normal, pode ajudar a manter a massa muscular e evitar a obesidade. A obesidade é um dos agravantes de outros problemas, como a artrite, além de diminuir ainda mais a mobilidade, o que pode resultar em um ciclo de ganho de peso ainda maior, aumentando o risco de outras doenças como diabetes.

Sempre verifique com seu veterinário os conselhos sobre nutrição e dieta que podem mudar ao longo da vida do seu animal de estimação para garantir a saúde ideal para o seu filhote mais velho.

  • Back to top