10 coisas que talvez você não saiba sobre São Francisco de Assis, protetor dos animais - Pet é pop

  • 10 coisas que talvez você não saiba sobre São Francisco de Assis, protetor dos animais

    São Francisco prega para animais - Foto Wikimedia Commons
    -->



    São Francisco prega para animais - Foto Wikimedia CommonsNesta sexta, dia 4 de outubro, é comemorado o dia de São Francisco de Assis, protetor dos animais e padroeiro da ecologia.

    Por conta de sua associação com os bichos, nesta mesma data são comemorados o Dia do Cachorro, o Dia Mundial dos Animais e o Dia Mundial da Natureza.

    Apesar de ter boa parte de sua vida dedicada à natureza e aos pobres, São Francisco teve sua trajetória marcada por prisão, briga com o pai, nudez na igreja e festas cheia de mulheres e bebidas. Conheça dez curiosidades sobre o santo:

    Imagem de São Francisco no Zoológico de São Paulo - Foto Wikimedia Commons

    1 – Francisco já foi João

    Nascido em Assis (Itália) no dia 5 de julho de 1182, o futuro santo recebeu o nome de Giovanni (João, em italiano) pela mãe, que era devota de São João Batista. Vendedor de tecidos vindos da França, o pai do menino resolveu rebatizá-lo como Francesco (francês, em italiano).

     

    2 – Fase playboy

    Com a riqueza conquistada pelo pai, o jovem Francisco costumava promover banquetes cheios de bebidas e mulheres. Rapidamente ele passou a ser popular no pedaço, e suas festas bombavam.

    São Francisco de Assis - Foto Diocese São José dos Campos

    3 – Fase presidiário

    Francisco se meteu em duas guerras. Aos 16, ele entrou para o exército e enfrentou um conflito civil em Assis. Combateu ao lado de mercantes contra a burguesia local. Passados quatro anos, o exército local resolveu interferir num conflito na vizinha Perugia. Com quase todos seus colegas mortos, Francisco sobreviveu e passou um ano preso. Na prisão, quase morreu por conta de malária e tuberculose. Só saiu de lá por conta das conexões de seu pai.

     

    4 – Adeus às armas

    De volta para a casa, Francisco sentiu-se recuperado a ponto de entrar para a cavalaria de Assis. Logo na primeira expedição, a malária resolveu dar o ar da graça novamente, fez o jovem voltar pra casa e dizer um adeus definitivo a sua fase bélica.

    Igreja São Francisco de Assis da Pampulha - Foto Wikimedia Commons

    5 – Ele viu a luz

    Não chegou aos dias de hoje um consenso sobre a conversão de Francisco em fiel a Cristo. Há duas versões mais aceitas: uma seria o beijo que ele teria dado no rosto de um homem que sofria de lepra, doença que Francisco considerava repugnante; outra versão dá conta de que, durante uma oração na igreja de São Damião, o jovem teria ouvido um chamado de Deus para que ajudasse os pobres.

     

    6 – Pano pra manga

    No chamado de Deus, havia também um pedido para que Francisco reconstruísse a igreja. Como o pedido veio desacompanhado de um plano, Francisco pegou o que tinha à mão: os tecidos do pai. Vendeu-os a preços irrisórios e doou tudo para a igreja.

     

    7 – Roupa pra quê?

    O pai de Francisco ficou possesso com a generosidade que o filho demonstrara com coisas que não eram suas. Perseguiu o jovem, que resolveu se refugiar dentro da igreja. Acusado de roubo pelo próprio pai, Francisco tirou toda a roupa que usava, entregou-a ao pai e abriu mão de qualquer herança. Com esse gesto, obteve a autorização do bispo para peregrinar e cuidar dos pobres.

    Sermão aos Pássaros tela de Giotto di Bondone - Foto Wikipedia
    8 – Amor pela natureza

    Durante suas peregrinações, Francisco cultivou um apreço excepcional pelos animais e ambiente. Chegou a sugerir que a Igreja Católica passasse a receber animais nas missas. Nascia o padroeiro dos animais.

    9 – Comunicação com os bichos

    São várias os casos em que Francisco trocou uma ideia com os animais. Em um deles, bandos de andorinhas seguiam o santo continuamente, formando uma cruz. Como elas não desgrudavam e ele ia pregar em Alvino, pediu: “Irmãs andorinhas, agora eu tenho que falar comigo”. Em outra ocasião, ele teria amansado um lobo. “Venha aqui, irmão lobo, mando-te, da parte de Cristo, que não faças nenhum mal a mim nem a ninguém”, pediu. Pelo jeito, andorinhas e lobo atenderam às solicitações.

    10 – Enfim, santo

    Morto no dia 3 de outubro de 1226, Francisco de Assis foi declarado santo pelo papa Gregório 9º dois anos depois. No dia seguinte, 4 de outubro de 1228, o papa colocou a pedra fundamental da Basílica de São Francisco de Assis, que, assim, ganhou uma data para chamar de sua no calendário de efemérides.

  • Back to top